segunda-feira, julho 31, 2006

Vadu, a voz golpeada

É como se uma nuvem aziaga pairasse sobre a chamada "Geração Pantera" de que, tal como Tcheka, ou Lura, Vadu faz parte. Orlando Pantera, um dos grandes nomes da música cabo-verdiana, teve um fim trágico em 2001. A morte levou-o no dia em que ia viajar para Lisboa, onde tinha estúdios marcados para a gravação do primeiro disco. Apesar do desaparecimento precoce, Pantera é uma espécie de figura tutelar da nova música das ilhas. Ainda há poucos dias encontrei, e guardei junto aos outros Favoritos, um site que acaba de surgir em sua homenagem em www.opantera.com . É um lugar de aconchego.
Agora, vadiando pela net, quando me preparava para apagar a luz, li na edição on line de "A Semana" que o cantor Vadu se encontra hospitalizado em estado grave depois de ter sido esfaqueado este fim de semana no Tarrafal, onde participava num festival de música. Vadu não é, fora de Cabo Verde, tão conhecido como Tcheka ou Lura. Mas é um dos mais promissores "discípulos" de Pantera e esta notícia, nos seus dois parágrafos, puxa a nuvem da tragédia para o coração da noite. A notícia conta que desconhecidos se aproximaram do cantor e o esfaquearam.
Um golpe fundo na garganta. Vadu permanece em estado grave. A voz golpeada ainda antes lhe terem aberto um site na net.