segunda-feira, abril 17, 2006

Ainda não

Ainda não. Mas o tempo de Idriss escoa-se. Até porque Paris não pode estar com um pé dentro e a ELF fora. E, ainda que a Exxon e os malaios ditem as regras do jogo que conta, o braço de ferro com o Banco Mundial, por causa da aplicação das receitas do pipeline, deve ter-lhe ditado a sorte. Faltam menos de quinze dias para o homem esbarrar na impossibilidade física de se candidatar às eleições, não obstante ter alterado a Constituição para o efeito.

2 comentários:

CN disse...

não sei, não... ouvi dizer que o homem tem um pacto secreto com a BP e que até a EXXON já lhe fez chegar uma proposta aliciante. por outro lado, meu caro, sabe-se que a SHELL e a YUKOS se combinaram para estragarem o bom entendimento que possa existir entre o teu tipo e a AIOC que, recentemente, abriu um escritório mesmo em frente ao palácio presidencial. enfim... a coisa está um bocado embrulhada.

Fernando Alves disse...

Oh grande Narciso! (Como tem sido bom ler-te no Blogda-se!!!) De facto, parece que o sinistro fdp se aguenta mais do que chegou a estar escrito nas estrelas. É muita octana e costas quentes dos franceses, para lá de que a acção das várias oposições armadas está desconjuntada. Hoje parece evidente que a FUC se esforçou para chegar a Djmanena antes dos outros, ainda que apenas para morrer na praia e abrir um precedente "heróico". Um abraço e saudades, amigo.