sexta-feira, março 31, 2006

U.A: sigla da impotência

Foi um dos ases da diplomacia líbia e da União Africana, há pouco mais de um mês: o acordo de paz, assinado em Tripoli pelo Tchad e pelo Sudão. Um compromisso de contenção mútua: Djamena e Cartum acordaram parar com o apoio a rebeliões armadas nos respectivos territórios.

A verdade é que ontem, 5ª feira, a zona de Moudeina, na região fronteiriça de Adré (em território tchadiano) foi campo de batalha: ao longo de todo o dia, houve combates ferozes entre cerca de mil soldados do exército do Tchad e outros tantos rebeldes do RDL, que é armado pelo Sudão. A situação é muito crítica e sabe-se que o general Abakar Youssouf, Chefe de Estado Maior do Exército do Tchad e sobrinho do presidente Idriss Deby, morreu durante os combates. Toda a informação independente que chega do terreno parece confirmar o envolvimento directo dos janjawid, as milícias muçuilmanas que fazem, no Darfur, o trabalho sujo de Cartum.
A violação de acordos em Àfrica não é original. E a proximidade das eleições no Tchad (que, aliás, parecem estar a ser preparadas em clima fraudulento, para variar) ajuda a explicar a brutal desestabilização do país. Do regime sudanês não se espera outra coisa, é da sua natureza.

Mas esperava-se. vá lá, um pouco de respeito pela União Africana. Um pouco de faz de conta.

1 comentário:

CN disse...

No faz de conta andam eles sempre...