quarta-feira, novembro 09, 2005

O que a Rede traz

Não é sequer uma vigília, nem um impasse. Do lado de lá da janela, pressinto o recorte da romanzeira no negrume da noite, a aldeia está mergulhada em sossego, quantos carros terão incendiado a esta hora, na periferia parisiense, os miúdos que trazem nos olhos novas Bagdad?
Estou a pescar na mesma rede que Sarkozy lançou para guglar apoios à política "de firmeza" (patético Sarkozy que ainda acabas guglado por um qualquer Le Pen...).
E onde guglará o deputado Nuno Melo que mandou esperar a sociologia para espumar urgências de ordem nas ruas, contra o "laxismo" da Europa governada "à esquerda", como quem sacode magrebes para trás do sol posto? Cuidai, Chirac, Villepin, Sarkozy, abjectos esquerdalhos, cuidai no que deu! E escusais de guglar, Melo não está para soluções que dispensem o cacete.
Mas ao que vim, perdido no negrume do pinhal a guglar acasos? Vim saber de uma Libéria a votos, em compita final? A esta hora a sorte está ditada, mas ainda não foi pescada na Rede. Espero que Weah leve de vencida a Dama de Ferro. E que isso seja um sinal auspicioso para os trezentos mil refugiados que andam pelas vizinhanças. Que um sono justo chegue para todos, enquanto uns contam votos em Monróvia e outros carros a arder na escumalhândia onde, para desgraça da Humanidade, ninguém parece escutar os avisos do deputado Melo.

1 comentário:

LS disse...

Caro Fernando,
Enquanto aguardamos o pontapé definitivo de Weah, pasmamos com o douto saber do senhor Melo. Nada que nos surpreenda dada a luminosidade que já antes havia emanado do excelso senhor.
Ei-lo, do alto da sua sapiência, declarando a solução (dir-se-ia que final).
Estará Melo, esta noite, sonhando uma bravata?
Estará Melo, esta noite, imaginando-se no comando da força, ordenando a acção?
Estará Melo, esta noite, sonhando o nosso pesadelo?

Um forte abraço, Fernando.
Luís Sequeira