terça-feira, novembro 01, 2005

B.Leza

Todos quantos, nostalgia à parte, africandamos na velha Lisboa, temos a obrigação de tomar este caso em mãos ( e em pés,marcando o compasso). Nem que seja em serviço mínimo de resistência, cívica, pois claro. O caso é o da nuvem que paira sobre o B. Leza, condenado a sair da casa do Conde Barão. O que podemos fazer? No mínimo, assinar a petição que corre na Net. Encontrei-a num blog que visito com assiduidade, o Estradas Perdidas, do Nuno Ferreira, jornalista e andarilho. Não conheço o Nuno, que pressinto arredio do jogo de salamaleques em que se produz muita baba na blogosfera. Mas gosto dos sítios por onde me leva. E assim mato dois em um: deixo o aviso à navegação, quanto ao B.Leza, e peço ao Leston que faça agulha( ou link, como se diz) com www.estradasperdidas.blogspot.com . Mesmo que o caminho se faça por outros trilhos, africanda-se bué, por ali. Mas, rematando o caso B.Leza,a senhora Câmara bem pode dar um ar da sua graça.

1 comentário:

NUNO FERREIRA disse...

Realmente, salamaleques não é comigo, ahah...thanks for visiting...