domingo, setembro 04, 2005

Saudosice

Esta anda-me aqui atravessada, desde ontem. Na dobra do almoço, piquei, na RTP-2, imagens do Benoliel. Fiquei por ali. Era um programa sobre Formação, Acções de Formação, coisa que o valha. A dado momento, surge uma certa Isabel Angelino, que já vi em cartazes de rua enaltecendo métodos de depilação, soletrando uns dizeres, muito à maneira do que é agora dado fazer-se, finais de frase suspensos em trejeitos de boca de peixinho de aquário, tudo muito silabado, muito tacteado em vogais abertas,. E vai ela diz assim: " Vamos falar agora de processos de candidatura. Antes de mais, é preciso apresentar o chamado curriculum vitai..."
Isto vem a propósito da já aqui referida saudosice. É que uma broa destas seria impensável no velho Rádio Clube de Benguela de há 35 anos. Ou, pelo menos, não ficaria impune.

3 comentários:

LS disse...

Diz bem Fernando, uma broa: uma broa de Avintes! Nada que os nossos ouvidos calejados não ouçam com uma torturada regularidade. Estas meninas e meninos que afirmam, com os olhinhos esbugalhados, gostar tanto, mas tanto, de "comunicar", era bom que começassem pelo essencial: aprender a falar, já nem sequer um português culto (não vale a pena pedir milagres), mas pelo menos um português correcto, que evitasse alarvidades avulsas e irritantes erros ditos com orgulho (o inefável "piqueno" e quejandos).
Um abraço

Rita disse...

Correndo o risco de passar por burra: o erro foi a forma como a senhora pronunciou "curriculum vitae"?. Disse vitai em lugar de vité? Ou passou-me ao lado? Perdoem-me ignorância... mas se pergunto é porque quero aprender...

Fernando Alves disse...

O erro está no facto de a senhora não ter feito esta coisa simples que a Rita fez: perguntar como se diz, perguntar como se faz.
Um grande abraço, Luis. A verdade é que estamos cada vez mais distantes de "saber errar bem",como propõe, numa fórmula mágica,o grande Manoel de Barros.